Radiologia Digital

Escrito por Dr. Osvaldo de Domenicis Júnior - Resp. pelo Setor de Tomografia Computadorizada do CURA

 

O advento do computador e o rápido avanço da tecnologia digital promovem uma verdadeira revolução na área de diagnóstico por imagem, possibilitando a incorporação de diversas inovações, que garantem exames com melhor qualidade de imagem, maior precisão de resultados e mais conforto para os pacientes.

Entre esses avanços está a radiologia digital, empregada com grandes vantagens no Brasil. Um dos muitos benefícios desse conceito é a possibilidade de se capturar, armazenar e disponibilizar imagens digitalmente por meio de um sistema de banco de dados denominado PACS (Picture Archiving and Comunication System).

Com isso, ganha-se maior velocidade na transmissão de dados, uma vez que médicos, hospitais, clínicas ou centros de laudos podem ter acesso imediato aos exames dos pacientes por meio da internet ou de sistemas de compartilhamento, o que agiliza o diagnóstico e a escolha do melhor tratamento.

Além disso, graças à maior sensibilidade dos detectores de imagens presentes nos equipamentos hoje utilizados, temos exames cada vez mais rápidos e menos exposição do paciente à radiação.

 

Manipulação de imagens

O advento da radiologia digital permitiu também a manipulação das imagens pelo computador. Dessa forma, é possível melhorar a qualidade do material por manipulação digital, evitando a repetição do exame e a exposição do paciente à nova dose de radiação.

Outra vantagem dessa tecnologia é o armazenamento seguro e duradouro dos exames, que podem ser arquivados em mídias digitais (CD ou DVD) ou mesmo em servidores específicos (datacenters), eliminando-se a necessidade de grande área física para a guarda dessa documentação. Com isso, podemos, também, consultar exames anteriores do paciente quase que instantaneamente, criando-se um histórico mais completo desse indivíduo, o que facilitará o diagnóstico e o acompanhamento evolutivo de doenças.

A redução de custos que esse conceito proporciona para hospitais, centros de diagnóstico, clínicas, convênios e etc... também é outro aspecto que não podemos deixar de ressaltar, uma vez que nesse novo processo são eliminadas várias etapas de manipulação de imagem.

Especificamente na tomografia computadorizada, uma grande contribuição da radiologia digital foi sua parceria no desenvolvimento da tecnologia multislice, que realiza imagens de várias áreas do corpo em cortes muitos mais finos, proporcionando uma visão muito mais detalhada dos sítios anatômicos. Isso é possível porque os tomógrafos multislice possuem um número maior de detectores. Hoje, existem equipamentos com mais de 300 detectores, possibilitando utilizar esse método diagnóstico para pesquisa e estudo de uma ampla gama de doenças.

A partir de cortes cada vez mais finos, o tomógrafo multislice permite o desenvolvimento de reconstruções multiplanares em alta definição – planos axial, coronal e sagital - , além de reconstruções tridimensionais (3D), que facilitam o estudo do paciente.

Graças à maior velocidade na captura das imagens, com a tecnologia multislice conseguimos, também, otimizar a utilização do contraste iodado endovenoso. Hoje, podemos usar um volume menor dessa substância, oferecendo maior comodidade para o indivíduo com conseqüente redução dos riscos de sua utilização.

Além de menor uso de contraste, a tomografia multislice possibilita a redução de artefatos respiratórios, ou seja, por ser um exame muito mais rápido, o paciente não necessita mais prender a respiração por longos períodos, o que causava desconforto e interferia, caso o procedimento não fosse bem feito, na qualidade da imagem.

Novos protocolos para redução da dose de radiação em tomógrafos multislice já estão em uso, especificamente em exames tomográficos do tórax e em crianças.

Com a tecnologia multislice, a medicina diagnóstica já consegue hoje se beneficiar, por exemplo, da angiotomografia computadorizada, exame que vem ganhando espaço na cardiologia brasileira, possibilitando o estudo das artérias coronárias e do coração, sem a necessidade de procedimentos mais invasivos, como o cateterismo. A urotomografia computadorizada,  também propicia uma completa avaliação dos rins e do trato urinário e maior precisão na detecção de lesões.

Na área da endoscopia, temos a colonoscopia e a broncoscopia virtuais, por meio das quais podemos realizar exames através de uma “viagem virtual” pelo corpo do paciente, sem lhe causar o desconforto da sedação e sem os riscos de métodos mais invasivos.

 

Novas Fronteiras

Uma novidade digital é o armazenamento de dados na “nuvem” (Cloud computing), já amplamente utilizado em países desenvolvidos e com um futuro promissor no Brasil. As imagens e dados dos pacientes são armazenados em servidores externos e ficam disponíveis aos médicos rapidamente, via internet e sob demanda, dispensando filmes e outras mídias digitais, aumentado a segurança dos dados e reduzindo custos.

Acesso rápido a dados dos pacientes também pode ser realizado através de QR codes (Quick Response). Trata-se de um código de barras bidimensional escaneado por smartfones com câmeras e posteriormente convertidos em textos, permitindo acesso rápido a informações sobre pacientes e exames.

Outra novidade promissora na documentação de exames é o uso de impressoras 3D na confecção de moldes anatômicos, utilizando dados volumétricos recebidos da plataforma DICOM de equipamentos radiológicos, especificamente nas áreas de tomografia computadorizada e ressonância magnética. Os modelos anatômicos produzidos são extremamente úteis no planejamento cirúrgico e confecção de próteses, especificamente nas áreas de ortopedia e neurocirurgia.

O CURA, que está sempre na vanguarda da medicina diagnóstica, utiliza a radiologia digital em diversos procedimentos, como na mamografia, tomografia computadorizada, ultrassonografia, ressonância magnética e radiologias convencional/contrastada. Estamos sempre atentos às inovações na área da medicina diagnóstica, e mantemos nossos profissionais atualizados com as tendências desse setor, a fim de assegurar a médicos e pacientes serviços eficientes e resultados mais precisos com conforto e tranquilidade.